Solução para o Problema de Água de Lagoa Santa

 
Lagoa Santa vive uma nova fase de sua história - são os tempos de  crescimento econômico e social, diante da  realidade  da revitalização do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, a implantação da Linha Verde e o anúncio de novos empreendimentos que representarão mais empregos, crescimento urbano e elevação da qualidade de vida da população. Atento a esses fatos, o Deputado Fábio Avelar já conseguiu junto à COPASA um grande benefício para todos: a interligação do Sistema de Abastecimento de Água de Lagoa Santa ao Sistema Integrado de Abastecimento de Água da RMBH. É o fim dos problemas defalta d água, das interrupções do fornecimento em razão de problemas dos poços artesianos e, sobretudo, é a garantia de água para o progresso de nossa querida cidade. E o que é muito importante - Sem qualquer custo acional na conta d água


Presidente da Copasa Atende Solicitação do Dep. Fábio Avelar

   Filho de Lagoa Santa, o Deputado Fábio Avelar acompanha dia e noite a vida do seu município.  Além da necessidade de oferecer uma infra-estrutura urbana compatível as necessidades da população e dos novos negócios em implantação, os recentes problemas de falta d água, causados pela limitação e vulnerabilidade dos poços artesianos que abastecem a cidade, fizeram com que o Deputado procurasse o Presidente da COPASA, Dr. Márcio Nunes, solicitando ao dirigente da Empresa a interligação do sistema de Lagoa Santa ao Sistema Integrado da Região Metropolitana.

    O Presidente Márcio Nunes, sensível aos argumentos do Deputado Fábio Avelar, determinou a imediata adoção de providências visando interligar os sistemas de abastecimento de água. Trata-se de uma grande conquista para o povo de Lagoa Santa, estendendo também este benefício para Vespasiano e São José da Lapa, conforme exposto no ofício do Presidente da COPASA.
 

O Antigo e o Novo Serviço:
Agora, mais Qualidade e Quantidade de Água

Limitado pela vulnerabilidade dos poços artesianos que abastecem a cidade, o Sistema de Abastecimento de Água de Lagoa Santa, embora atenda a população dentro dos padrões de potabiliddade estabelecidos pelo Ministério da Saúde, vem impondo às pessoas o pesado incômodo da falta d água. Recentemente, o povo lagoassantense viveu os problemas causados pelo desabastecimento, preocupando a todos, principalmente as autoridades que vêem no serviço um limitador aos projetos que se anunciam para o município.

O Sistema Atual

O sistema atual é composto pelas seguintes baterias de poços: Confins  05 poços; Várzea  01 poço; Lagoa das Mansões  01 poço; Lapinha  02 poços. Este sistema de produção é responsável pelo atendimento a 97 % da população (47.158 habitantes), nas 14.100 ligaçoes prediais, em  15.707 economias ou unidades abastecidas na cidade. O sistema de poços é capaz de produzir aproximadamente 280 litros por segundo, para abastecer a região central, bairros alguns condomínios fechados.
Além dos aspectos ligados à regularidade do abastecimento, a população sempre reclama da chamada dureza da água, uma característica apresentada nas denominadas regiões calcárias, como é o caso da de Lagoa Santa. Esta água, embora não apresente problemas para a saúde, conforme demonstrado cientificamente, é causa de reclamações de muitas pessoas,  em razão de sabor e supostos danos às tubulações, roupas e outros objetos com os quais a água mantém contato.
Apesar desta condição desfavorável, a água de Lagoa Santa tem o máximo de dureza de 150 mg/litro. O valor permito pela legislação é de 500 mg/litro.


 

O Sistema Integrado da Região
Metropolitana /Lagoa Santa

Este sistema é integrado pelos seguintes sistemas: Sistema Rio das Velhas; Sistema Rio Manso; Sistema Serra Azul, Sistema Várzea das Flores; Sistema Morro Redondo; Sistema Ibirité; Sistema Catarina e, em futuro próximo, o Sistema Barreiro.Este complexo de abastecimento é responsável pelo atendimento às cidades da RMBH, inclusive Belo Horizonte. Estão de fora, por enquanto,  os municípios de Lagoa Santa, Vespasiano (sede) e São José da Lapa.

O Sistema Integrado de Abastecimento de Água da RMBH tem uma capacidade instalada atual de 16.500 litros por segundo. A média de produção para a Região Metropolitana  é de 13.000 litros por segundo, propiciando uma folga de produção capaz de abastecer com excelência os municípios de Lagoa Santa, Vespasiano (sede e localidades já abastecidas, limítrofes com Belo Horizonte) e São José da Lapa.

fonte: site do dep. Fabio Avelar
23/1/2006

Veja o que já foi publicado

www.lagoasanta.com.br - revista virtual da cidade